O que é e como controlar o shelf life de Alimentos?

Criado em 13 de novembro min(s) de leitura

Última atualização em: 24 de janeiro de 2023, às 7:29 pm

o que e shelf life alimentos

Shelf life é o tempo de prateleira, o prazo de validade ou vida útil de um determinado produto. Quando falamos de shelf life de alimentos, relacionamos ao tempo que podem ser armazenados até perecer.

Estimar a vida de prateleira não é uma tarefa simples. É necessário ter o máximo de informações sobre o produto. Por exemplo: a composição, qual seu mecanismo e decomposição, além de outros fatores relacionados ao armazenamento.

Agora que você já entende o conceito, anote 5 dicas para controlar o shelf life de alimentos da melhor forma possível. Continue a leitura para descobrir:

  • Como estocar
  • Calcular o shelf life
  • Exposição FIFO
  • Inovar na exibição
  • Saudabilidade com GC

Vamos aos detalhes de cada uma delas?

#1 NO SHELF LIFE DE ALIMENTOS É PRECISO SABER ESTOCAR

Como você deve imaginar, o tempo de prateleira tem início na fase final da produção e termina no momento em que ele se torna impróprio para o consumo.

Com isso em mente, vamos imaginar as etapas de produção da seguinte forma:

controlar shelf life de alimentos

A nossa primeira dica é sobre o armazenamento. Ele se faz necessário após a produção, logo depois da manipulação. O armazenamento é a etapa da estocagem. Este período é limitado por fatores controláveis e incontroláveis, de acordo com o tipo de alimento.

O produtor é quem deve identificar e informar ao distribuidor ou vendedor o melhor processo possível para proteger o produto durante a etapa do armazenamento.

É durante a estocagem e distribuição que o produto pode alcançar um estado indesejável. Durante esse processo, o produto fica exposto a diferentes condições ambientais, como temperatura, umidade, influência solar e outras situações que podem disparar reações ligadas à deterioração do produto.

É importante termos em mente que produtos do ramo alimentício são naturalmente perecíveis. A opção que temos é controlar o shelf life de alimentos, e não manipulá-lo. Alguns fatores indicam quando o alimento está acelerando sua validade. Eles são perceptíveis durante o armazenamento, por exemplo:

Crescimento microbiológico

Está ligado ao desgaste precoce do alimento. Basicamente o desenvolvimento microbiano ocorre quando os microrganismos chegam aos alimentos. Se as condições forem favoráveis, acabam se multiplicando e podem provocar desde infecções alimentares até intoxicações quando o alimento for consumido.

Para evitar que isso afete o shelf life, é necessário estar atento durante a estocagem e criar condições para impedir o crescimento microbiológico, como: controle de umidade, pH e temperatura.

Mudanças químicas

Se não armazenados de forma correta, conforme as indicações do produtor, os alimentos podem sofrer alterações químicas. Entre elas estão: 

  • perda de nutrientes
  • alterações de cor
  • alterações de sabor

Mudanças pela luz

A luz pode ser benéfica em vários sentidos, como no combate à umidade, citado no tópico anterior, mas também pode acelerar o processo de rancificação.

Avaria

Danos físicos, como embalagens perfuradas, amassadas ou danificadas, podem favorecer o desenvolvimento microbiano e contribuir para que o produto seja descartado precocemente.

#2 APRENDA A CALCULAR O SHELF LIFE

Em caso de dúvidas ou suspeitas, você pode questionar o shelf life de um alimento, desde que repasse o resultado dos testes ao produtor. Este tipo de construção não é feito para obter vantagens, mas para otimizar o shelf life e ajudar a confirmar ou contestar os testes já ensaiados.

Há dois métodos principais para se estimar o shelf life:

DIRETO

O produto é estocado sob condições pré-estabelecidas por um prazo superior ao estimado na prateleira. Geralmente, este modelo baseia-se em 5 passos:

Identificação:

Identificar fatores ligados à deterioração do alimento.

Classificação

Classificar as causas mais frequentes de deterioração que afetam o shelf life.

Planejamento

Determinar os testes a serem feitos.

Estudo de prateleira

Simular o cenário da prateleira e testar todas as variáveis que conseguir imaginar.

Monitoramento

Testar frequentemente e testar novamente com outras variáveis e outros cenários. É um processo elíptico, não circular. Ele nunca deve ter um fim.

INDIRETO

Com a necessidade de ter lançamentos a cada instante, a indústria realiza testes de prateleira de forma acelerada.

O método indireto, basicamente, é quando condensamos os passos do método direto em testes que podem ser executados em poucos dias. O período de armazenamento acaba sendo diminuído devido ao aumento da taxa de deterioração. Geralmente, o fator extrapolado é a temperatura de armazenamento. Ela exerce influência direta sobre várias reações.

 

#3 EXPOSIÇÃO FIFO PARA CONTROLAR O SHELF LIFE DE ALIMENTOS

Outra dica que pode ajudar o seu trade a otimizar o shelf life é utilizar a regra FIFO. Acrônimo para First In, First Out, que em português significa “o primeiro a entrar, o primeiro a sair”, refere-se a estruturas de dados do modelo fila. É o oposto da regra LIFO, que significa Last In, First Out, em pilhas.

Em resumo, considere a regra FIFO para produtos enfileirados e a regra LIFO para produtos empilhados:

controlar shelf life de alimentos

É importante atentar-se à regra FIFO para evitar a ruptura e orientar o shopper a buscar o produto de forma rotativa.

A ideia fundamental da fila é que só podemos inserir um novo elemento no final da fila e só podemos retirar o elemento do início. Caso não exista a recolocação do produto, o giro do produto tende a ser menor, aumentando as chances de perecimento do alimento.

#4 INOVE NA EXIBIÇÃO

Quanto mais atenção um produto chamar,  mais rápido ele sairá da prateleira. Sendo ainda mais objetivo, a unidade de um produto parado significa dinheiro parado. Por isso, é importante investir em uma execução diferenciada no PDV.

Como exemplo, veja a geladeira do futuro da Vigor. Confira o vídeo abaixo.

https://youtu.be/zAMarj5UJgw

#5 SAUDABILIDADE COMBINA COM GC

Sabe aquela máxima “você é o que você come”? É um velho ditado que diz respeito à nossa alimentação e emula a nossa imagem como uma semelhança às nossas refeições. Pois bem, ela nunca esteve tão presente no cotidiano. A saudabilidade é um termo em alta e a procura por alimentos de temática saudável é crescente. O consumidor mudou seus hábitos alimentares e o shopper, na inércia, mudou a maneira como compra.

O problema é que produtos desta categoria enfrentam um enorme desafio quando falamos de shelf life. A solução para otimizar a vida útil de produtos de temática saudável é ambientá-los por categoria de forma que o shopper os encontre de forma rápida e, assim, o giro de produtos seja acelerado evitando o perecimento.

Em suma, a lógica é simples: agrupe produtos de acordo com as necessidades deste público, já que o consumidor desta linha apresenta características claras, como a busca por produtos saudáveis.

E lembre-se: conte com o promotor que está no PDV e permita que ele tenha uma ferramenta de trade marketing  ou aplicativo de trade marketing que colete informações em tempo real. Dessa forma, é possível ter informações precisas para evitar a perda de produtos.
Nova call to action

Quer ter acesso a conteúdos exclusivos?

Inscreva-se para receber por e-mail e em primeira mão conteúdos sobre Trade Marketing e Varejo

Conheça o Involves Stage: a solução de trade marketing

Uma ferramenta completa para execução, gestão e inteligência da sua operação.

Saber mais

Inteligência artificial para o varejo com Involves Doors

Controle o abastecimento, minimize perdas e aumente o faturamento das suas lojas.

Agendar demo

Tudo sobre Varejo

Ver todos arrow_forward